COMUNICADO 01/2017

Gostaríamos de comunicar a todos os associados e amigos que  pela assembléia  realizada em 16/11/2016, em Jaguariúna, conforme edital publicado no blog da associação, https://amesampa.wordpress.com/2016/10/19/55/ e em outras mídias sociais, a AMESAMPA conta com uma nova diretoria sendo:

Presidente: Ricardo R. C. de Camargo
Vice presidente: Celio Rodrigues
Tesoureiro: Estanislau Missio
Secretário: América Motta

E também contamos com um novo endereço da sede, ou seja, a associação está agora registrada na cidade de  Indaiatuba SP.
Continuamos trabalhando para que nossa atividade seja reconhecida e livre para que todos possam criar suas asf sem preocupações e também contra o uso abusivo de agrotóxicos que vem causando a morte de milhares de abelhas.
Entre uma de nossas ações está a de verificar quem tem interesse de continuar fazendo parte de nossa Associação e para isso pedimos aos interessados que preencham o formulário disponível no endereço https://goo.gl/forms/xnmWm00LH72tXWDo2

Informamos ainda que o valor da anuidade de 2017 é de 90 reais, 10% do salário mínimo, como consta no estatuto, e que estaremos enviando uma nova carteirinha para todos que pagarem a anuidade 2017.
Quaisquer dúvidas estamos  a disposição para sanar.
Outras informações serão passadas àqueles que preencherem o formulário.

ABELHAS X AGROTÓXICOS

índiceA “Abelha x Agrotóxicos” é uma publicação informativa aos Apicultores  e Meliponicultores.

Os  autores da cartilha são: Prof. Generosa Sousa e o Meliponicultor  Wilson José Gussoni.

Clique aqui para acessar a cartilha.

Dia de vivência sobre ASF da  Embrapa Meio Ambiente 

 Dia de vivência sobre ASF no meliponário da Embrapa Meio Ambiente em Jaguariúna…ação do Ecoforte onde a AMESAMPA é parceira.

Participação da AMESAMPA no “Mercado São Paulo”

Tivemos a oportunidade de participar do Evento Mercado São Paulo, nos dias 19 e 20 de novembro de 2016, final de semana dedicado ao tema  “Mel e Banana”, onde apresentamos as abelhas sem ferrão e também alguns de seus produtos.

A ideia foi  de apresentar ao público a atividade da Meliponicultura e a diversidade de abelhas sem ferrão  existentes no Brasil.