Dia da Abelha Cati – Campinas

No dia 03/10/2018 a AMESSAMPA esteve presente no evento do “Dia da Abelha” na Cati, evento que exaltou a importância das abelhas como os maiores polinizadores da natureza e proporcionou a todos oficinas, praticas de manejo e exposição de abelhas sem ferrão para que as pessoas pudessem tirar dúvidas e curiosidades.

Nós, como associação, devemos lembrar sempre da necessidade da proteção das abelhas.

4º Workshop de Meliponicultura

Participação da AMESAMPA no 4º Workshop de Meliponicultura na USP Ribeirão Preto com lançamento da nova Identidade Visual.

Reunião de Associados e Amigos da AMESAMPA

Local: CATI-Campinas
Data: 23 de junho de 2018
Pauta: Elaboração de proposta de projeto para edital público

No dia 23 de junho de 2018, foi realizada uma reunião com os associados e amigos da AMESAMPA, em Campinas, na sede social da CATI. Estiveram presentes, 16 pessoas, sendo 11 associados e 05 simpatizantes e amigos, que também se dispuseram a estar conosco para conhecer melhor a associação. Como a maioria das pessoas eram de novos associados, mesmo não sendo um ponto de pauta, o presidente, Ricardo Camargo decidiu por fazer um relato histórico da nossa Associação abordando alguns pontos, desde a sua fundação em Franca, no ano de 2013. Essa retrospectiva foi muito interessante e serviu para que todos os presentes pudessem conhecer melhor a trajetória de luta, dificuldades e avanços conseguidos a favor da Meliponicultura, não somente no estado de São Paulo, como também em outros estados, em que a AMESAMPA, através do Ricardo, esteve presente, nesses anos todos, contribuindo e enriquecendo as discussões, debates e proposições voltadas à Meliponicultura, além da participação em inúmeros eventos técnicos e de formação. Também foi abordada a participação da AMESAMPA junto às Câmaras Setoriais, tanto federal quanto estadual. Voltando-se ao ponto de pauta, foi descrito a participação da AMESAMPA no primeiro edital ECOFORTE, pela Rede de Agroecologia do Leste Paulista finalizado em 2017 e posteriormente no edital do ECOFORTE II, onde a nossa entidade será beneficiada por ser uma das Unidades de Referência a serem desenvolvidas nessa segunda ação. Nesse segundo edital, o projeto passou pela primeira fase de avaliação, sendo que apenas 5 projetos nessa categoria foram aprovados no país todo. Nesse mês agora toda a documentação foi encaminhada (orçamentos dos itens solicitados) para que seja realizada a segunda e última etapa de avaliação.
Após esse breve relato foi apresentado em maiores detalhes a proposta que está sendo construída por alguns membros da Diretoria (Ricardo, Estanislau e Janete) e por alguns colaboradores externos, contatos que o Ricardo tem e que participaram da equipe técnica do projeto do ECOFORTE I, para um novo edital da FBB, agora para reaplicação de “Tecnologias Sociais” cadastradas no banco de tecnologias da FBB. O prazo final de encaminhamento é o dia 29 de junho. Sendo o foco do edital a geração de renda e emprego, esse projeto visa fortalecer diretamente a Meliponicultura Paulista, por meio da instalação de Unidades de Referência, (compostas por meliponário de produção + unidade de beneficiamento), em algumas regiões do Estado, onde podemos contar com o apoio e a participação efetiva de nossos associados em seus respectivos núcleos regionais, tais como região de Ribeirão Preto, Botucatu, Vale do Paraíba, Baixada Santista, Campinas e Grande São Paulo. Além dessas Unidades algumas ações de capacitação e formação de meliponários estão sendo propostas em terra indígena da região de Bertioga e de Assentamento Rural na região de Franca (Restinga), nesses casos como ação social e de incentivo à prática da meliponicultura como atividade produtiva. Outro pilar da proposta é o estabelecimento de um programa de capacitação a ser desenvolvido nas URs e para os associados de cada uma das regiões onde será instalada uma UR, com todos os materiais técnicos e equipamentos para a realização dos cursos a serem ministrados em 3 módulos ao longo de um ano. Além disso, para que se atinja o objetivo principal do edital, no que diz respeito a geração de renda, serão adquiridas colônias matrizes e todo o material para sua multiplicação para formação dos meliponários de produção e aumento de plantel de produção para o incremento da capacidade produtiva dos associados. Uma equipe será formada e custeada com recursos do projeto para a sua gestão e realização das ações previstas nas URs. Após essa explanação onde foi apresentado o arquivo onde a proposta está sendo preenchida, o Ricardo esclareceu diversas dúvidas dos participantes, que se mostraram muito satisfeitos e entusiasmados com a proposta apresentada. Aproveitou-se a presença dos associados para a discussão das ações e definições relacionadas com a confecção e envio das carteirinhas de filiação. Estanislau relatou todas as questões envolvidas, inclusive financeiras, reforçando a dificuldade de ser mantida essa metodologia, sem contudo termos uma estrutura gerencial que apoie essa formatação. Após algumas considerações e sugestões dos participantes, foi definido que para a anuidade seja cumprido o valor que consta no estatuto, ou seja, 10% do salário mínimo que é de R$954,00, portanto a anuidade deverá ser de R$ 95,00 e incluir na forma de pagamento mais R$10,00 para as despesas de postagem. Sendo assim, sem mais nada a tratar deu-se por encerrada a reunião com a degustação de um belo lanche comunitário.

Relator: Osmar Mosca

AMESAMPA participa de Atividade sobre Meliponicultura em São Pedro

No dia 22 de maio de 2018, Dia do Apicultor e da Biodiversidade, a AMESAMPA participou de uma atividade sobre Meliponicultura organizada pela CATI, no município de São Pedro. O evento, “Tarde Orgânica”, contou com uma palestra sobre manejo orgânico da fertilidade do solo, oficinas sobre Meliponicultura, técnicas de permacultura voltadas às construções rurais, confecção de tintas à base de terra, entre outras atividades. O público presente, que prestigiou o evento, foi estimado em torno de 70 pessoas, composto por agricultores, extensionistas, educadores e interessados, em geral. A participação da Amesampa se deu por meio do Amigo Estanislau Missio, que levou algumas caixas didáticas de abelhas sem ferrão, e juntamente com o extensionista rural da Cati, Osmar Mosca Diz, (que também é associado à Amesampa e à SOS Abelhas Sem Ferrão), ofereceram uma oficina sobre a atividade da Meliponicultura, enfocando o preparo de iscas atrativas e a transferência de colônias de Jataí para caixas de criação racional. A oficina foi bem prestigiada e os participantes estavam muito interessados! O evento contou ainda com a participação da ONG SOS Abelhas Sem Ferrão, que forneceu materiais técnico-educativos para distribuição ao público participante. Esse evento foi uma mostra de que é possível e necessário se promoverem ações com o envolvimento de várias entidades, no caso, a CATI, a AMESAMPA e a SOS Abelhas Sem Ferrão.