Local: CATI-Campinas
Data: 23 de junho de 2018
Pauta: Elaboração de proposta de projeto para edital público

No dia 23 de junho de 2018, foi realizada uma reunião com os associados e amigos da AMESAMPA, em Campinas, na sede social da CATI. Estiveram presentes, 16 pessoas, sendo 11 associados e 05 simpatizantes e amigos, que também se dispuseram a estar conosco para conhecer melhor a associação. Como a maioria das pessoas eram de novos associados, mesmo não sendo um ponto de pauta, o presidente, Ricardo Camargo decidiu por fazer um relato histórico da nossa Associação abordando alguns pontos, desde a sua fundação em Franca, no ano de 2013. Essa retrospectiva foi muito interessante e serviu para que todos os presentes pudessem conhecer melhor a trajetória de luta, dificuldades e avanços conseguidos a favor da Meliponicultura, não somente no estado de São Paulo, como também em outros estados, em que a AMESAMPA, através do Ricardo, esteve presente, nesses anos todos, contribuindo e enriquecendo as discussões, debates e proposições voltadas à Meliponicultura, além da participação em inúmeros eventos técnicos e de formação. Também foi abordada a participação da AMESAMPA junto às Câmaras Setoriais, tanto federal quanto estadual. Voltando-se ao ponto de pauta, foi descrito a participação da AMESAMPA no primeiro edital ECOFORTE, pela Rede de Agroecologia do Leste Paulista finalizado em 2017 e posteriormente no edital do ECOFORTE II, onde a nossa entidade será beneficiada por ser uma das Unidades de Referência a serem desenvolvidas nessa segunda ação. Nesse segundo edital, o projeto passou pela primeira fase de avaliação, sendo que apenas 5 projetos nessa categoria foram aprovados no país todo. Nesse mês agora toda a documentação foi encaminhada (orçamentos dos itens solicitados) para que seja realizada a segunda e última etapa de avaliação.
Após esse breve relato foi apresentado em maiores detalhes a proposta que está sendo construída por alguns membros da Diretoria (Ricardo, Estanislau e Janete) e por alguns colaboradores externos, contatos que o Ricardo tem e que participaram da equipe técnica do projeto do ECOFORTE I, para um novo edital da FBB, agora para reaplicação de “Tecnologias Sociais” cadastradas no banco de tecnologias da FBB. O prazo final de encaminhamento é o dia 29 de junho. Sendo o foco do edital a geração de renda e emprego, esse projeto visa fortalecer diretamente a Meliponicultura Paulista, por meio da instalação de Unidades de Referência, (compostas por meliponário de produção + unidade de beneficiamento), em algumas regiões do Estado, onde podemos contar com o apoio e a participação efetiva de nossos associados em seus respectivos núcleos regionais, tais como região de Ribeirão Preto, Botucatu, Vale do Paraíba, Baixada Santista, Campinas e Grande São Paulo. Além dessas Unidades algumas ações de capacitação e formação de meliponários estão sendo propostas em terra indígena da região de Bertioga e de Assentamento Rural na região de Franca (Restinga), nesses casos como ação social e de incentivo à prática da meliponicultura como atividade produtiva. Outro pilar da proposta é o estabelecimento de um programa de capacitação a ser desenvolvido nas URs e para os associados de cada uma das regiões onde será instalada uma UR, com todos os materiais técnicos e equipamentos para a realização dos cursos a serem ministrados em 3 módulos ao longo de um ano. Além disso, para que se atinja o objetivo principal do edital, no que diz respeito a geração de renda, serão adquiridas colônias matrizes e todo o material para sua multiplicação para formação dos meliponários de produção e aumento de plantel de produção para o incremento da capacidade produtiva dos associados. Uma equipe será formada e custeada com recursos do projeto para a sua gestão e realização das ações previstas nas URs. Após essa explanação onde foi apresentado o arquivo onde a proposta está sendo preenchida, o Ricardo esclareceu diversas dúvidas dos participantes, que se mostraram muito satisfeitos e entusiasmados com a proposta apresentada. Aproveitou-se a presença dos associados para a discussão das ações e definições relacionadas com a confecção e envio das carteirinhas de filiação. Estanislau relatou todas as questões envolvidas, inclusive financeiras, reforçando a dificuldade de ser mantida essa metodologia, sem contudo termos uma estrutura gerencial que apoie essa formatação. Após algumas considerações e sugestões dos participantes, foi definido que para a anuidade seja cumprido o valor que consta no estatuto, ou seja, 10% do salário mínimo que é de R$954,00, portanto a anuidade deverá ser de R$ 95,00 e incluir na forma de pagamento mais R$10,00 para as despesas de postagem. Sendo assim, sem mais nada a tratar deu-se por encerrada a reunião com a degustação de um belo lanche comunitário.

Relator: Osmar Mosca

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked (required)